Blog

Dicionário do vinho: descubra como os vinhos são classificados
24 de maio de 2017

A carta de vinhos tem um vocabulário próprio. Nomenclaturas criadas por especialistas e que, nem sempre, fazem sentindo para os consumidores. Os vinhos são classificados de acordo com sua classe, cor e teor de açúcar. Para identificar a sua procedência, deve-se observar a data da safra e o nome da uva utilizada em sua fabricação.

Pensando nisso, a Laurentia separou um dicionário para esclarecer alguns termos vinícolas:

 

Classe

 

De mesa – vinho com graduação alcoólica de 10º a 13º com classificado em fino ou nobre, espeicais e frisantes ou gaseificados.

 

Leve – vinho com graduação alcoólica de 7º a 9,9º GL

 

Champagne – resultado de uma segunda fermentação é o vinha espumante com graduação alcoólica de 10º a 13º.

 

Licoroso – vinho doce ou seco com graduação alcoólica de 14º a 18º. Neste tipo também são adicionados álcool potável, mosto concentrado, caramelo e sacarose.

 

Composto – vinho de macerados e concentrado de plantas amargas ou aromáticas, substância de origem animal ou mineral, álcool etíloico potável e açúcares com gradução alcoólica de 15º a 18º. Seus tipos são vermute, quinado, gemado, jurubeba, ferroquina entre outros.

 

Cor

 

Tinto – produzido a partir de variedades de uvas tintas.

 

Rosado – produzido a partir da polpa de uvas tintas, a casca é brevemente separada. O vinho também pode ser produzido pela mistura de vinho branco com tinto.

 

Branco – produzido a partir de uvas brancas ou tintas, a fermentação é feita sem as cascas

 

Teor de Açúcar

 

Seco – possui até 5 gramas de açúcar por litro

 

Demi-sec (meio doce) – possui até 20 gramas de açúcar por litro

 

Suave – possui mais de 20 gramas de açúcar por litro

Requintada e deliciosa: pera no vinho
17 de maio de 2017

O vinho, além de delicioso, é versátil. Assim como serve de bebida, ele também pode ser utilizado como ingrediente em receitas. Que tal aprender a fazer uma pera ao vinho tinto? Sobremesa perfeita para aquele jantar importante.

 

Ingredientes

4 unidades de pera portuguesa

1/2 garrafa de vinho tinto

1/2 xícara (chá) de açúcar

100 gramas de canela em pó

Modo de preparo

Cozinhe as quatro peras, descascadas, no vinho tinto. Adicione o açúcar e a canela, cozinhe por 20 minutos. Recomenda-se servir com sorvete de creme.

Aprenda a harmonizar espumantes
10 de maio de 2017

Assim como os outros gêneros de vinhos, o espumante possui uma grande variedade e isso influencia, diretamente, na hora de harmonizar com os diferentes tipos de comidas. A produção, a variedade de uva e até a quantidade de açúcar são alguns dos principais fatores que influencia na harmonização. Pela sua leveza e refrescância, o espumante combina com comidas leves e sutis.

Pensando nisso, separamos algumas dicas para não errar na hora de combinar o seu prato com este tipo de vinho:

Na entrada

Opte por espumantes com acidez e leveza na medida para abrir o apetite. A escolha do vinho deve acompanhar o estilo do prato. Em saladas, aposte nos prossecos e em entradas à base de frutas, no seco.

No prato principal

Na combinação com frutos do mar, com molhos mais encorpados, harmonize com um Blanc de Noir. Com carne branca, aposte nos secos mais ácidos. No caso dos pratos com carnes vermelhas e molhos de sabor forte não recomenda-se harmonizar com espumante.

Sobremesas

Na melhor parte da refeição, recomenda-se espumantes mais doces ou demi-sec.

Com essas dicas, temos certeza que irá saborear o espumante muito mais do que apenas no réveillon.

Laurentia é reconhecida como um dos melhores lugares para casamentos no estado
9 de maio de 2017

É com grande felicidade que nós da Laurentia – Vinhedos do Brasil comunicamos que  fomos escolhidos como um dos ganhadores dos Prêmios Zankyou International Wedding Awards em 2017.  Estes prêmios nos reconhecem como um dos melhores locais de Casamento de 2017 no Rio Grande do Sul!

ZIWA é o principal prêmio do mercado de casamentos, em que o reconhecimento é dado pelos próprios profissionais do setor e noivos Zankyou satisfeitos com o nosso trabalho. Estamos muito felizes e orgulhosos! Obrigado a todos pelo apoio e seguiremos assim, trabalhando para oferecer sempre o melhor!

 

Happy Hour da Laurentia Vinhedos do Brasil e Chocolates Suelen Franco na Pink Elephant
4 de maio de 2017

Saiba qual vinho combina com cada massa
28 de abril de 2017

Com a chegada do outono, as temperaturas tendem a cair. O friozinho, que já anuncia a chegada do inverno, abre o apetite para pratos mais quentes e pesados. É o caso das massas, que combinam sabor e sustância. Na Itália, país onde o macarrão é tão popular, é comum consumir o prato com vinho. Mas qual será o vinho que mais combina com cada tipo de massa? Não se preocupe, a Laurentia entende de vinhos e trouxe um guia completo para você não errar na hora de combinar a bebida com o prato.

Não existe uma regra para esse tipo de harmonização, mas há dicas simples de como combinar. O segredo é analisar o tipo de molho. No macarrão os molhos mais comuns são à base de tomate. Nesse caso, a experiência fica mais prazerosa se acompanhada de vinho tinto. Em pratos com molhos elaborados à base de queijos ou frutos do mar, o recomendado é o tipo branco. O importante é que os vinhos sejam leves e tenham acidez, sem muito álcool.

 

Para não ter erro, confira a lista de harmonização para cada tipo de molho:

 

Tomate

Tintos leves com pouca acidez e rosé em geral

Carne

Tintos mais encorpados

Queijo

Brancos encorpados ou tintos delicados

Frutos do Mar

Brancos e rosés em geral

Al Pesto

Brancos leves e frescos

Agora que você já está preparado para fazer a combinação certa. Buon apetito!

Dicas de harmonização de vinho para carnes
19 de abril de 2017

O vinho tem propriedades excelentes, que trazem benefícios a nossa saúde. Combinar a bebida com pratos é uma alternativa para aliar qualidade de vida à uma ótima refeição. Nesse caso, é importante saber com que tipo de vinho combina o seu prato. Confira as dicas de harmonização para carnes que separamos para você:

 

 

Carne branca grelhada ou acompanhada de molho leve

Para esse tipo de preparo da carne branca, a dica é servir um vinho branco seco ou tinto jovem (três a quatro anos após a safra). Em caso da carne branca ser servida com molhos mais fortes, o interessante é apostar no vinho tinto maduro (dez anos após a safra).

Carne vermelha grelhada ou acompanhada de molho

A carne vermelha pode aumentar o peso. Por isso, a dica é apostar em um vinho tinto médio encorpado. No caso de molho forte, a aposta é no tinto maduro.

Carne de peixe

Quando grelhado com molho leve, o peixe deve ser acompanhado de espumante brut ou branco seco. Já a carne servida com molho mais forte, a dica é harmonizar com vinho branco maduro ou tinto jovem. Peixes como bacalhau, salmão e atum combinam com tinto jovem ou branco maduro.

Agora que você já sabe qual vinho combina com cada tipo de carne. Aproveite e dê uma passa em nossa loja virtual, clicando aqui.

Descubra qual tipo da bebida harmoniza com a melhor parte da refeição
18 de abril de 2017

Uma boa refeição tem o seu valor e nada melhor do que encerrar ela com uma ótima sobremesa. Para acompanhar a última – e melhor – parte da refeição, opte por bebidas com o toque mais doce. A dica é escolher por branco doce ou fortificado. Já se você é fã de espumante, aposte no adocicado.

 

Para alinhar degustação com digestivo, a recomendação são os destilados com base de uva, como Cognac, Armagnac, Bagaceira ou Grappa.

Sete mitos e verdades sobre os benefícios do vinho para a saúde
10 de abril de 2017

Que o vinho faz bem à saúde, muitos sabem. Porém, há muitas mistificações sobre seus reais benefícios. Pensando nisso, a vinícola Laurentia separou uma lista com as sete características benéficas do vinho e suas explicações:

Um escudo natural

Segundo a Sociedade Europeia de Cardiologia, ao consumir uma taça diária de vinho, você pode reduzir em pelo menos 11% o risco de infecção por bactérias, que causam doenças como úlceras, gastrites, infecções e alguns tipos de câncer. Além disso, o vinho também não afeta o sistema imune.

Um aliado na perda de peso ou não?

Como tudo na vida, o vinho também engorda. Porém, dentre as bebidas alcoólicas, ele é a que possui menos calorias quando bebido moderadamente.

Potenciador do cérebro

O vinho evita a coagulação do sangue e reduz a inflamação dos vasos, ambos relacionados a memória. Assim, o vinho ajuda no processo de memorização, mesmo na terceira idade.

Calmante natural

O vinho pode melhorar a sua qualidade de vida e minimizar o seu stress. De acordo com a Universidade de Bostan, consumir a bebida, em moderação, melhora as emoções, mobilidade e o nervosismo.

Potencializador sexual

Consumir duas taças de vinho por dia pode aumentar o nível de desejo e satisfação sexual. Além disso, o vinho também diminui, em um terço, o tempo de espera de casais que estão tentando ter bebê.

Adeus dores e varizes

Beber vinho regularmente e com moderação, a partir das 40 anos, fortalece os ossos, veias e artérias, prevenindo problemas como osteoporose e varizes.

Aliado contra diabetes e colesterol

O vinho contém a substância resveratrol que traz benefícios a pessoas com tendência a ter diabetes. Além disso, duas taças diária da bebida diminuem o colesterol ruim e aumentam o bom. O ideal é alinhar o consumo de vinho a prática de exercícios físicos para potencializar seus benefícios.

Composto encontrado no vinho ajuda a impedir doença incurável em mulheres
28 de fevereiro de 2017

Cientistas da Polônia e dos Estados Unidos descobriram que uma substância encontrada no vinho pode impedir que mulheres desenvolvam a síndrome do ovário policístico (SOP). O estudo revelou que um composto natural do vinho tinto, o resveratrol, pode reduzir a quantidade de hormônios no organismo. Essa substância, encontrada na casca de uvas e em nozes, é conhecida por ter propriedades anti-inflamatórias.

A doença é conhecida por ser uma das principais causas de infertilidade entre mulheres. Ela se desenvolve quando os níveis de hormônios esteroides, como a testosterona, estão altos e causam a formação de cistos. Os sintomas mais comuns são ganho de peso, excesso de pêlos no rosto, acne e até ausência do período menstrual.
O estudo foi feito com 30 mulheres que tinham ovários policísticos. Elas foram divididas em dois grupos: um tomou suplementos que continham 1.500 miligramas de resveratrol e o outro recebeu pílulas de placebo.
As participantes tomaram os comprimidos diariamente durante três meses e doaram amostras de sangue no início e no final do estudo. Além disso, elas receberam um teste de tolerância à glicose para medir o risco de diabetes.
Os resultados surpreenderam os pesquisadores. Os níveis de testosterona das mulheres que tomaram o resveratrol caíram em 23,1%, enquanto aumentaram em 2,9% no caso das voluntárias que receberam placebo. Os níveis de sulfato de dehidroepiandrosterona (DHEAS), outro hormônio que o corpo pode converter em testosterona, também tiveram um declínio de 22,2% no grupo das mulheres que tomaram o suplemento. Já as participantes que ganharam a pílula de placebo tiveram um aumento de 10,5% na quantidade de DHEAS em seu sangue.
Houve também uma redução no risco de diabetes entre as mulheres que tomaram o resveratrol. Elas se tornaram mais sensíveis à insulina, sendo que os níveis desse hormônio em seu sangue caíram 31,8%.

 

Apesar de interessantes, ambas as pesquisas não afirmam que uma taça de vinho por dia irá aumentar seu tempo de vida ou proteger as mulheres contra as doenças. Isso porque, o resveratrol é encontrado em baixas quantidades na bebida. Para chegar a uma quantidade de duas pílulas de 250 miligramas da substância, seria preciso beber mais de mil garrafas de vinho tinto por dia.

 

Segundo um artigo publicado no site The Conversation e escrito por Lindsay Wu, professor da University of New South Wales, na Austrália, um medicamento feito à base de resveratrol ainda não é vendido, pois quando o composto é ingerido, o fígado o degrada rapidamente. Assim, apenas uma quantidade pequena é distribuída pelos tecidos, causando pouco efeito.
Para ter algum efeito, a substância teria de ser administrada em doses elevadas. No entanto, uma grande quantia de resveratrol pode causar problemas intestinais, como diarreia.
Fonte: Exame